Moderno

Honda lança novo Accord no Brasil

Montadora japonesa mudou pouco no visual e incrementou o carro com mais tecnologia

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 03/03/2016 13:46 / atualizado em 03/03/2016 16:29 Taciana Góes /Diario de Pernambuco

São Paulo (SP) – O sedã de luxo reúne o que há de melhor nos atributos de tecnologia da montadora japonesa, é uma espécie de vitrine para outros modelos da marca. A linha 2016 desembarca no país com mudanças sutis no visual e ganha reforço na central multimídia. O preço? Também é único: R$ 156.300 na versão EX.

 

Motor 3.5 litros i-VTEC com válvula variável V6 - Honda / Divulgação Motor 3.5 litros i-VTEC com válvula variável V6
 

 

O carro mantém o motorzão 3.5 litros i-VTEC com válvula variável V6, o que economiza mais combustível, rende 280 cavalos de potência a 6.200 rpm e tem arrancadas fortes garantidas com torque 34,6 kgfm a 4.900 rpm. O que mudou? Em poucas palavras, o Accord passou a ter rodas de 18 polegadas (antes eram 17”), acionamento a distância pela chave e uma nova central multimídia de 7 polegadas, com uma tela extra e novidades que realmente compensam para o condutor.

 

Nova central multimídia de 7 polegadas - Honda / Divulgação Nova central multimídia de 7 polegadas
 

 

Por falar na chave, imagine o sol de quase 400 no Recife e você, ao acionar a partida, a temperatura do carro desce para 220, pois o ar-condicionado automático também liga. Resultado: nada de bancos de couro queimando na pele.

Acelerar esta máquina é privilégio de poucos e aproveitei um trecho de quase 200 km em São Paulo, tanto como condutora, como passageira, para experimentar os atributos do sedã. O câmbio automático de seis marchas ganhou paddle shift, ou seja, as borboletas no volante, mas sinceramente... Coloquei no modo S (Sport) e pisei fundo nas novas pedaleiras esportivas em alumínio iluminadas. O silêncio a bordo é impressionante, graças a um sistema que capta ruídos e emite ondas contrárias. O espaço interno é bom e os ocupantes do banco traseiro não sofrem com aperto nas pernas. O lance é ser executivo.

 

Grande espaço interno garante comodidade - Honda / Divulgação Grande espaço interno garante comodidade
 

 

Na chuva forte, os retrovisores começaram a embaçar e nas ultrapassagens ou mudanças de faixa, o que entra em cena é o dispositivo LaneWatch, que reproduz imagens real na tela i-MID, logo acima do GPS, monitorando o ponto cego. A câmera fica localizada abaixo do espelho retrovisor, o que amplia a visão e melhora a segurança. Para estacionar, é possível escolher três modos de visão na câmera de ré: normal, ampliado ou de cima para baixo. Bem arretado.
No trânsito da cidade, optei por dirigir no modo D (Drive) e deixei o motor menos agressivo. Nas velocidades mais baixas, o sistema VCM ativa e desativa três cilindros do motor, poupando o tanque de combustível, sem que o condutor perceba (eu pelo menos não sentir).

 

Tela i-MID mostra imagens da câmera externa - Honda / Divulgação Tela i-MID mostra imagens da câmera externa
 

 

Aparentemente, o Accord ficou mais bonito, mas mudou pouco. Os vincos foram acentuados na dianteira e o conjunto óptico passou a ser 100% de LED. A traseira ganhou um discreto aerofólio acompanhando a tampa do porta-malas. Vale anotar: o banco traseiro passou a ser bipartido rebatível (60/40)
O GPS integrado tem informações de trânsito por radiofrequência sem necessidade de conexão por smartphones, no Recife e nas principais capitais do Brasil. A central também ganhou uma entrada HDMI, duas de USB e alto-falantes nas quatro portas. O modelo tem ABS e EBD, assistente de rampa e seis airbags. A novidade na cartela de cores é a cor prata metálica.


Mercado
A expectativa é trazer um lote de 120 unidades para o Brasil, uma pequena amostragem do que foi vendido no mercado norte-americano no ano passado: mais de 400 mil veículos (e olhe que o modelo teve queda de 11% em relação a 2014). O Accord é importado para cá direto dos EUA. Mas o que o torna interessante para o mercado local? Como todo Honda, o modelo demora a mudar de geração (está na 9ª e com previsão da 10ª apenas em 2018), é mais sóbrio e aguenta o peso da blindagem, por exemplo. A aposta japonesa concorre com tendência de mercado no país que aponta para a compra de SUVs de luxo nessa faixa de preço. Portanto não será fácil emplacar.

*Viajou a convite da Honda

 

Tags: veículos

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
Encontre seu veículo
O ano inicial não pode ser maior que o ano final.
O preço inicial não pode ser maior que o preço final.

Refinar busca

Últimas notícias

ver todas
23 de março de 2017
21 de março de 2017