Salão de São Paulo

Conheça a trajetória do maior Salão do Automóvel da América Latina

O Brasil já sediou trinta edições do Salão do Automóvel de São Paulo. Muita coisa mudou desde a primeira mostra. Nostalgia e orgulho nacional são palavra chaves

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 12/11/2018 08:30


Primeira edição do evento aconteceu em 1960 e reuniu doze montadoras no pavilhão da indústria do Ibirapuera. Foto: dominiopublico.gov.br/Reproducao - Primeira edição do evento aconteceu em 1960 e reuniu doze montadoras no pavilhão da indústria do Ibirapuera. Foto: dominiopublico.gov.br/Reproducao
Quando o assunto é automóvel, a primeira coisa que pode vir à mente são aquelas máquinas superesportivas, modelos híbridos e até mesmo protótipos futuristas. Toda essa mostra tecnológica soa familiar em tempos atuais, mas houve um período em que não era bem assim. A história da indústria automobilística no Brasil tem, desde seu início, um símbolo respeitado e conhecido por todo mundo: o Salão do Automóvel de São Paulo. Montado pela primeira vez em 1960, entre 26 de novembro e 11 de dezembro daquele ano, no Pavilhão da Indústria e do Comércio do Parque Ibirapuera, o evento recebeu 400 mil pessoas e reuniu as 12 montadoras existentes na época (Willys Overland, DKW-Vemag, General Motors, Ford, FNM, Simca, Volkswagen, Toyota, Romi-Isetta, International Harvester, Scania Vabis, Mercedes Benz) e uma centena de fabricantes de autopeças e acessórios veiculares.

Trajetória do evento revela evolução da indústria mundial. Foto: dominiopublico.gov.br/Reproducao - Trajetória do evento revela evolução da indústria mundial. Foto: dominiopublico.gov.br/Reproducao
Os lançamentos da primeira edição do evento, na década de 1960, hoje são disputados por vários apreciadores de veículos antigos. As novidades - hoje colecionáveis - iam da minúscula Romi-Isetta até o sofisticado Alfa Romeo 2000JK. Começava naquela época o reinado do Fusca. Foi também o período de lançamento do DKW (primeiro automóvel a trazer motor 1.0 de três cilindros, que voltaria mais de quatro décadas depois). A trajetória do evento revela a evolução na indústria e no mercado automobilístico brasileiro. No início, o principal foco era apagar a imagem negativa que o país tinha sobre o descrédito e desconfiança dos veículos nacionais, já que o mercado sempre deu mais importância aos modelos importados. 


1960
Acontecia o 1º Salão do Automóvel, realizado no Pavilhão da Indústria e do Comércio do Parque Ibirapuera. Na época, o evento recebeu o então presidente Juscelino Kubitscheck, principal entusiasta da indústria automobilística no país. Ao todo, estiveram presentes 12 expositores e 400 mil visitantes. 


1962
O salão passa a ser bienal, e tem como destaque os modelos DKW Fissore, Scania-Vabis L-75, o Karmann-Ghia e os utilitários Chevrolet Amazonas e Toyota Bandeirante. 


Em 1983, o evento passou a ser conhecido como o Salão do álcool, por causa do etanol. Foto: dominiopublico.gov.br/Reproducao - Em 1983, o evento passou a ser conhecido como o Salão do álcool, por causa do etanol. Foto: dominiopublico.gov.br/Reproducao
1964
A indústria automobilística supera a marca de 1 milhão de veículos produzidos no país. São expostos os modelos Brasinca GT-4200 Uirapuru, Chevrolet Veraneio, Aero Willys 65 e Vemaguet Rio. A Volkswagen e a Ford não participam do evento. É criado um mapa exclusivo para o Salão do Automóvel. 


1966
Chegam aos stands os luxuosos Ford Galaxie e Willys Itamarati Executivo, além do esportivo Puma GT. 


1968
É realizado o último salão no Parque do Ibirapuera. As estreias ficam por conta da Alfa Romeo e Chrysler. Os destaques? Nada mais que o Chevrolet Opala, Ford Corcel e Galaxie LTD, Chrysler GTX e VW 1600. 


1970
O salão inaugura o Pavilhão de Exposições do Anhembi. Modelos como Chevrolet Opala SS, Dodge Charger V8, VW Variant e Karmann Ghia TC e TL, Alfa Romeo 2150, Ford Corcel GT e Ford Galaxie Landau chegam para revolucionar o mercado.

Evento sobreviveu a crises econômicas e políticas. Foto: dominiopublico.gov.br/Reproducao - Evento sobreviveu a crises econômicas e políticas. Foto: dominiopublico.gov.br/Reproducao
1976
É decretada a crise mundial do petróleo. Modelos com motores adaptados para o uso do álcool como combustível são destaques. O pequeno 147, da Fiat, é revelado. Os destaques ficam por conta do Chevrolet Opala Diplomata, VW Brasília de quatro portas, e os fora de série Adamo, Miura, Santa Matilde SM-4 e GTM Malzoni.


1978
Número de veículos produzidos no país chega aos oito milhões. Atenção voltada para o Chevrolet Chevette de quatro portas, Santa Matilde SM 4.1, Alfa Romeo 2300 e o Dodge Polara automático. 


1980
Crise na indústria automotiva nacional é anunciada. Há o lançamento do Volkswagen Gol, Voyage e Saveiro.  

1983
Evento passa a ser conhecido como o Salão do Álcool, por conta dos vários lançamentos movidos a etanol. Os destaque é o Volkswagen Santana. 


1986
Grandes marcas anunciam ausência por causa da crise. Para evitar o fiasco, foram importados 59 veículos de vários países, entre eles uma Ferrari 328 e um Porsche 911. 


1988
Salão é marcado pelas inovações eletrônicas, com destaque para o sistema de injeção de combustível. Os destaques são o VW Gol GTI, Chevrolet Monza EFI, Ford Escort XR3 e o Gurgel BR-800. 


1990
São 300 veículos expostos, sendo 31 modelos estrangeiros, incluindo uma Ferrari F40 e um Ford Thunderbird. Total de público: 711.000 visitantes; 


1992
Salão marcado pela abertura do mercado para os modelos importados. Os destaques são o Toyota Corolla e Hilux, Ford Explorer, Mitsubishi Eclipse, Pajero e L200.


1998
Queda nas vendas e encalhe de 200.000 veículos nas lojas, totalizando 220 veículos expostos. Marcas como Audi, Honda, Mercedes-Benz, Mitsubishi, Renault e Toyota instalam as suas fábricas no Brasil. Há a chegada do Audi TT, VW New Beetle, Mercedes-Benz Classe A, Peugeot 206, Toyota Corolla nacional e Land Rover Freelander.
2006
Público presente ultrapassa 600.000 pessoas. Há a apreensão de modelos da Lamborghini pela PF no Anhembi. Destaque fica por conta do BMW Z4, Ford Mustang Shelby GT500, Ferrari 599 GTB Fiorano, Porsche Carrera GT e VW Eos.


2008
Evento é realizado logo após o estouro da crise financeira e falência de bancos nos Estados Unidos. São confirmados 170 expositores, e contou com o público de 625.330 visitantes. 


2010
A 26ª edição do salão marcou a passagem dos 50 anos do evento. Período é lembrado por recordes da indústria automobilística nacional em vendas e produção de veículos. 


2014
A 28ª edição do Salão do Automóvel foi recorde em visitação. Mais de 750 mil pessoas puderam conhecer mais de 150 incríveis lançamentos automobilísticos. Pela primeira vez, o evento reservou uma área exclusiva para três diferentes Test Drives. Cerca de 5 mil visitantes tiveram a oportunidade de dirigir diversas máquinas automobilísticas. A réplica do DeLorean utilizado em “De Volta para o Futuro”, o simulador de Stock Car e a pista da Hot Wheels também foram grandes destaques dessa edição.


2016
De casa nova e diversas atrações, a 29° edição contou com mais de 540 veículos expostos, mais de 20 mil m² de área de test drive, 1.200 horas de entretenimento e 90 mil m² de exposição.
 
 
Encontre seu veículo

Veículos

Últimas notícias

ver todas
10 de dezembro de 2018