Seminovos

Saiba mais na hora de comprar um usado

Quando não dá para comprar um veículo novo, o seminovo pode ter o atrativo decisivo para o bolso do motorista

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 05/11/2018 09:41 Débora Eloy


Fazer um test drive e tentar saber o histórico do automóvel são atitudes indispensáveis. Foto: Paulo Paiva / DP / DA Press - Fazer um test drive e tentar saber o histórico do automóvel são atitudes indispensáveis. Foto: Paulo Paiva / DP / DA Press
Adquirir um veículo 0 km é o desejo de muitos. Mas, seja por problemas financeiros, ou por qualquer outra opção, a compra de carros seminovos vem se destacando cada vez mais. A economia pode ser vista, inclusive, nos atrativos que um veículo tem à oferecer. Enquanto um veículo novo, na casa dos R$ 40 mil pode deixar alguns itens de conforto de lado, por esse valor é possível encontrar um automóvel mais rodado e com itens que agradem aos ocupantes, como computador de bordo, tela multimídia, ar-condicionado e travas.

Entretanto, encontrar a melhor oferta pode ser um desafio, seja por conta do valor ofertado ou do estado de conservação do veículo. Pensando nisso, o DP Auto reuniu algumas dicas para quem deseja fechar um bom negócio e não sabe por onde começar.

Antes de mais nada, é importante pesquisar. Os veículos disponíveis na própria concessionária de revenda pode ser um ótimo lugar para começar, já que esses locais, em geral, oferecem uma garantia melhor e dados mais precisos do estado do veículo. Porém, não se pode destacar outras facilidades em comprar direto com o antigo proprietário. “Tanto a concessionária, quanto o antigo dono têm vantagens e desvantagens, então a definição do que será melhor irá depender do objetivo do comprador e o quanto ele valoriza algumas questões. Comprar direto com o vendedor, a insegurança é maior, pois será preciso uma avaliação mais detalhada e confiável sobre o estado do carro e procedência. Entretanto, muitas vezes o valor do carro está abaixo de mercado e a negociação pode ser mais flexível”, explica o sócio-fundador da Volanty Maurício Feldman.

Para ter certeza da procedência do veículo, as lojas e concessionárias aparecem mais uma vez como o local mais indicado para escolher o futuro bem. Isso porque, nesses lugares geralmente são feitos um filtro do que é essencial para apresentar ao interessado, como especificar se ele foi recuperado de um sinistro, ou se existe algum bloqueio administrativo que impeça a compra legal do carro. Locadoras também pode ser um bom lugar para pesquisar, uma vez que elas geralmente adquirem os carros de um único dono.

Logo de cara, existem algumas partes do carro que podem ser analisadas, antes mesmo de abrir a porta ou o capô, como a pintura e os faróis. Itens de segurança também precisam ser avaliados, desde a validade do extintor de incêndios, até a presença de chave de rodas, triângulo e a condição do estepe. Depois é importante checar o nível de óleo disponível no armazenamento e sua periodicidade de troca, também é indispensável solicitar o histórico de manutenção do veículo, para poder dar continuidade de onde parou. “Um potencial comprador de um seminovo se preocupa inicialmente com a mecânica do carro, o estado de conservação, a procedência, a situação legal, se todos os documentos estão em ordem para a transferência, se existe alguma multa, além de garantia e seguros”, revela Maurício.

Antes mesmo de testar o veículo nas ruas, é preciso ouvir o que ele tem a dizer. Ligue o carro em marcha lenta para verificar se existe algum ruído que chame a atenção e que não deveria existir, é importante checar mesmo antes do test drive para não ficar no meio do caminho. Sentir os níveis de vibração do volante e da alavanca do câmbio, quando ele for manual, que pode ser verificado com uma simples volta no quarteirão. Essa prática também ajuda a identificar se existe alguma folga no pedal de freio e para sentir como o veículo se comporta em vias acidentadas. Nesse momento é importante ter junto o mecânico de confiança, com seu conhecimento ele pode identificar problemas durante os trajetos.

Para fazer a melhor escolha, é preciso ter um olhar clínico e bem apurado. Automóveis que sofreram alguma avaria podem apresentar sinais de acidentes mesmo depois de consertado. Por isso é importante observar o alinhamento de portas, capô, porta-malas e irregularidades nos tons da pintura. Até verificar os parafusos de portas e tampas é válido para fazer uma boa compra. Isso porque, de fábrica, os item são pintados na cor da carroceria e, caso estejam com uma tonalidade significa que o carro já passou por um conserto.
 
Encontre seu veículo

Veículos

Últimas notícias

ver todas
14 de dezembro de 2018