Novidade

Citroën lança Cactus, que tem visual ousado e parte dos R$ 68.990

Carro peca no tamanho do porta-malas, que é o mesmo que o do Yaris, mas consegue atender quem procura um SUV mais alto e moderno

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 28/08/2018 10:37 / atualizado em 28/08/2018 17:24 Thainá Nogueira /Diario de Pernambuco


Thaina Nogueira/ DP
Um motorista que gosta de viajar, não dispensa tecnologia e ama o diferente vai ser o público mais entusiasta do C4 Cactus. A Citroën trouxe o carro, que já é comercializado na Europa desde 2014, para o Brasil e começará a entregar as primeiras unidades do SUV em outubro. O carro será produzido na planta do Grupo PSA no Rio de Janeiro e compartilhará da mesma plataforma que o C3. Já testamos e contamos aqui as primeiras impressões. Já adiantando, atestamos: o carro tem pegada forte.

É a mistura de tudo que deu certo. O motor do Cactus não é novidade, assim como os seus itens tecnológicos. É que o 1.6 turbo que equipa a versão topo de linha do SUV já é presente no 3008. Ao todo, são seis versões do veículo. A configuração de entrada é a Live, seguida pela Feel, Feel Business, Feel Pack, Shine e Shine Pack. O motor 1.6 aspirado é oferecido nas três primeiras, enquanto o turbo equipa as duas mais caras. Ambos são flex. Mas a que chama atenção e que deve ser a mais pedida pelo público é a mais completa, Shine, que conta com motor 1.6 turbo flex, que pode gerar 173 cavalos e tem um torque de 24,5 kgfm.

Thaina Nogueira/ DP
 
Essa opção vem com câmbio automático de seis marchas e permite que o carro vá de 0 a 100 km/h em pouco mais de sete segundos. O SUV tem tração dianteira, direção alétrica e rodas de aro 17. O comprimento fica na casa dos 4,17 metros, a largura em 1,71 metros e a altura em 1,56. O entre-eixos de 2,60 metros permite que pessoas como a reporter que vos escreve, que tem 1,73 m de altura, consiga viajar no banco traseiro sem demais problemas. 

Além disso, tecnologias assistivas a condução do motorista que também estão inclusas no SUV da Peugeot, podem ser encontradas na novidade. Desde a versão básica, o SUV compacto tem ar-condicionado digital, direção elétrica, luzes diurnas de LED, faróis halógenos, vidros (todos com acionamento por um toque), travas e retrovisores elétricos, computador de bordo, indicador de troca de marcha, ajuste de altura e profundidade do volante, Bluetooth e entrada USB.

A partir da versão Feel, o carro ganha bancos traseiros bipartidos e central multimídia com tela sensível ao toque de 7 polegadas com Apple CarPlay e Android Auto com comandos no volante. O carro tem de série apenas dois airbags, freios ABS, Isofix, cintos de três pontos e apoios de cabeça para todos os ocupantes. Mas dá para contar com quatro airbags, é só ir pra opção C4 Cactus Feel Pack ou Shine. Já para ter seis airbags, é preciso levar a versão topo de linha Shine Pack.

Thaina Nogueira/ DP
Bancos de couro são exclusividade topo de linha, assim como o pacote de tecnologias de segurança que ajudam o motorista. Leia-se: alerta de saída de faixa, alerta de atenção do condutor, indicação de descanso, sistema de frenagem automática e alerta de colisão.

Grip Control

Apesar de não contar com opções com tração integral, o Citroën tem uma tecnologia batizada de Grip Control. O sistema altera o comportamento do carro de acordo com o modo de condução selecionado pelo motorista. Além do modo padrão, há configurações para areia, lama, neve e uma que desativa os controles de tração e estabilidade.

Esteticamente falando, o carro é pra frentex. A Citroën modificou alguns aspectos em relação a versão europeia, mas a grade com todas as luzes e faróis separadas e as lanternas tridimensionais chegaram no Brasil. O raque de teto é de série, assim como uma proteção lateral que serve para minimizar possível “encontrões” da porta com algum obstáculo em estacionamentos.
No entanto, não é possível trocar as marchas com as borboletas atrás do volante, o carro não conta com essa opção. Nem tampoco transitar com cinco pessoas – é que o espaço para um passageiro ficar no meio é apertado e tem a elevação no assoalho que incomodaria os mais altos. O câmbio é curto e pequeno. O que não deve ser um ponto negativo para quem escolher a opção com a caixa automática. Com a manual, deve dá trabalho. No entanto, o ponto fraco do veículo está nitidamente encontrado no porta-malas. É que o carro conta apenas com 320 litros.

FOTO4]Os preços partem dos R$ 68.990  e chegam a R$ 98.990. E é com essa tabela de preço que a Citroën pretende entrar no ranking dos SUVs mais vendidos. A aposta é grande. Visto que a versão mais completa do Cactus é a mais barata entre os principais conrorrentes, como Renegade (R$ 108 mil), Tracker (R$ 105.240), EcoSport (R$ 100.020), Kicks (R$ 104.190), Creta (R$ 109.340), Captur (R$ 104.840) e HR-V (R$ 112.800). O carro chega nas concessionárias da marca em outubro, mas já está disponível para pré-venda. 

A Citroën acertou em trazer um veículo com o mix das jogadas acertadas do grupo PSA. Inclusive, esse é o lançamento que leva todas as apostas da marca no setor automotivo nacional.
 
Encontre seu veículo

Veículos

Últimas notícias

ver todas
19 de setembro de 2018
18 de setembro de 2018
17 de setembro de 2018