Paixão

Além das duas rodas

Um motocicleta, para muitos, pode ser apenas uma forma de transporte. Mas, para esse grupo vai além da locomoção

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 15/06/2018 17:09 / atualizado em 15/06/2018 17:51 Débora Eloy

Reunião de Oração é feita por todos os membros do ECMM. Foto: Daniel Tavares / ECMM - Reunião de Oração é feita por todos os membros do ECMM. Foto: Daniel Tavares / ECMM
A cultura dos bikers, já é bastante conhecida nos Estados Unidos, seu lugar de origem. Mas, por aqui, também é possível ver uma vertente muito forte dela. O termo designa o grupo de motociclistas que se juntam para desenvolver atividades que podem, ou não, envolver a estrada, mas sempre ligadas à motocicleta. Com motogrupos, motoclubes e, até mesmo, motoculto, os integrantes se juntam para partilhar histórias, informações e, inclusive, a fé em comum.

Cronologicamente falando, essa cultura dos bikers surgiu no pós-guerra através dos militares norte-americanos. Na época, o intuito era propagar a fé em Cristo entre os integrantes. No entanto, nunca houve uma religião definida,  o que os pilotos compartilham, até hoje, é a crença em Deus.

No Brasil,  essa cultura se consagrou através do Esquadrão de Cristo Ministério Motociclístico (ECMM). Sua fundação aconteceu em Brasília, no dia 15 de agosto de 2004, pelo pastor André Fernandes, mais conhecido como Geléia. O ECMM nacional herdou vários princípios dos idealizadores norte-americanos. Entre eles, a hierarquia e o costume de aplicar codinome. “Depois que entra para o Esquadrão, o integrante recebe um apelido, que pode ser espontâneo ou escolhido por algum membro. No meu caso, eu fiquei conhecido pelo meu sobrenome”, explica o Legatus do ECMM-NE, Francisco Siqueira.

Viagens são realizadas em grupo seguindo o mesmo esquema de segurança da PF. Foto: Paulo Paiva / ECMM - Viagens são realizadas em grupo seguindo o mesmo esquema de segurança da PF. Foto: Paulo Paiva / ECMM
Legatus, por sinal, é o título conferido pela presidência do Esquadrão a membros por serviços de alta relevância prestados e que pode ser traduzido como embaixador. Trata-se de uma figura de comando, um exemplo com responsabilidade de ser uma referência do ECMM aonde estiver.

O título concedido à Siqueira não foi à toa. Ele é o responsável por trazer e manter o Esquadrão de Cristo aqui no estado. “A vontade de trazer uma equipe para Pernambuco surgiu em 2013, durante uma viagem à Paraíba, onde conheci o ECMM e tive vontade de me juntar ao grupo”, aponta.

É comum o grupo se juntar para visitar outras cidades e, até mesmo, outros estados. Foto: Daniel Tavares / ECMM - É comum o grupo se juntar para visitar outras cidades e, até mesmo, outros estados. Foto: Daniel Tavares / ECMM
No dia 24 de fevereiro de 2014 o Esquadrão de Cristo Ministério Motociclístico foi fundado aqui em Pernambuco. Leandro Costa, conhecido como Web e atual diretor do ECMM-PE, foi um dos primeiros a entrar para o Esquadrão aqui em Pernambuco. “Fui convidado no mesmo dia que havia saído de outro motoclube, e não hesitei em  aceitar”, revela.

MotoCulto como guia  e busca pela fraternidade

A paixão por duas rodas se tornou guia espiritual do Esquadrão de Cristo Ministério Motociclístico. Foto: Paulo Paiva / ECMM - A paixão por duas rodas se tornou guia espiritual do Esquadrão de Cristo Ministério Motociclístico. Foto: Paulo Paiva / ECMM
A partir daí, Siqueira começou um laço com os responsáveis pelo movimento, em Brasília, para fundar um ramo do Esquadrão por aqui. “Era preciso ter, no mínimo, seis integrantes para oficializar. Hoje, o Esquadrão conta com 42 pessoas que se encontram toda sexta-feira para uma reunião de oração, conhecida como RODA e, uma vez por mês, ocorre o motoculto”, esclarece Siqueira. O termo “motoculto”, inclusive, foi registrado em cartório e o ECMM é pioneiro nessa prática.

Todos os encontros religiosos do grupo seguem os dogmas do cristianismo. As RODAs são realizadas seguindo uma rotina. “A cada reunião acontece primeiro um diálogo, depois existe a leitura da liturgia, o canto de louvores, uma leitura bíblica e, geralmente, encerra com um Pai Nosso”, revela Web.

Legatus Siqueira (esq.) foi o responsável por trazer o ECMM para Pernambuco. Leandro (dir.) é o atual diretor do grupo. Foto: Paulo Paiva / ECMM - Legatus Siqueira (esq.) foi o responsável por trazer o ECMM para Pernambuco. Leandro (dir.) é o atual diretor do grupo. Foto: Paulo Paiva / ECMM
A ligação do Esquadrão com o mundo biker é tão singular que se expande para diversos outros grupos. “Nós fazemos convites para os motoclubes para que eles venham nos visitar e nós também os visitamos em sua sedes, com o intuito de interagir em suas atividades e criar laços”, aponta o diretor, que completa, “nosso lema é sorriso contagiante e abraço constrangedor”, finaliza.

Além da estrada
Mas não são só nas atividades ligadas à fé que movem o ECMM. Como todo bom grupo biker, o Esquadrão também se junta para viajar. “Costumamos ir para o interior do estado, isso inclui as nossas famílias, inclusive têm alguns integrantes que fazem viagens internacionais”, aponta Web.

O alcance do Esquadrão é tão grande que existem vertentes ligadas ao grupo brasileiro, mas fora do país. “Temos dois ramos, um no México e outro no Havaí”, explica o diretor.
E, além de viagens e se unir com outros grupos para trocar informações e experiências, o ECMM também é responsável por trabalhos de cunho social. “Nós fazemos parte da Liga Nacional dos Bikers e somos embaixadores do trânsito do Detran em Pernambuco”, revela Siqueira.

Todos os anos, os ramos do ECMM se reúnem em algum lugar do Brasil. “É uma junção de todos que fazem parte da família Esquadrão de Cristo, onde se juntam todas as famílias para umwa celebração em conjunto, explica o Legatus.

Capacitação
Para se juntar ao Esquadrão é preciso mais do que ter apenas o desejo de participar da equipe. “É necessária uma capacitação dentro do ECMM, além de passar por um treinamento com 10 módulos, o que leva cerca de dois anos”, esclarece Siqueira.

Mas não é só para participar do Esquadrão que é preciso uma qualificação. “Existe ainda uma preparação para rodar na estrada. É imprescindível ficar ciente que existe o capitão de estrada, também chamado de batedor, que é responsável pela segurança, e o ferrolho, que fica na retaguarda do comboio”, esclarece Web.
O treinamento utilizado pelo grupo é o mesmo padrão usado pela Polícia Federal, onde o batedor faz uma sinalização e todos os integrantes do comboio repetem até chegar ao último.

Serviço

MotoCulto
Data: 16/06
Horário: 19h30
Local: Igreja Batista
Frutificando em Cristo
Endereço: Estrada dos Remédios, 1085

 

Tags: suv sueco teste vrum Volvo XC60 D5 Kinetic XC60 diesel novo motor diesel Um SUV bom de briga Estado de Minas

Encontre seu veículo

Veículos

Últimas notícias

ver todas
16 de outubro de 2018
15 de outubro de 2018