Dicas

Confira algumas práticas para evitar que o tanque seque

Situação está caótica no Brasil. Com a crise no combustível deflagrada nos últimos dias, é hora de rever a mobilidade urbana

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 26/05/2018 10:00 / atualizado em 25/05/2018 16:22 Thainá Nogueira /Diario de Pernambuco

Valor exorbitante causou revolta nos consumidores. Foto: Thalyta Tavares / Esp. DP - Valor exorbitante causou revolta nos consumidores. Foto: Thalyta Tavares / Esp. DP
Caos. A palavra que consegue resumir a realidade brasileira dos últimos dias. Voos cancelados, escassez de alimentos, pausa na indústria, diminuição da frota de transporte público. A situação é grave e consequência de só um fator: a crise de combustível no Brasil. Desde a última quarta-feira, quando a gasolina chegou a R$ 6 reais nos postos de combustíveis, o Brasil se viu frágil e foi notória a percepção da dependência do transporte viário, do transporte de caminhões. Os caminhoneiros cruzaram os braços desde a última segunda-feira e exigem redução no valor do diesel. Governo promete mudanças. A Petrobrás anunciou que o valor de refinaria do diesel e da gasolina será de R$ 2,3083 e R$ 2,0306, respectivamente. O preço final da gasolina para o público é quase o triplo dessa tabela. O faturamento dos postos é notório e o pavor da população de ficar sem o líquido necessário para locomover os veículos também. A realidade foi de longas filas ao longo da semana na grande maioria dos postos e donos de postos de combustíveis, até do sindicato, sendo presos por cartel. A única certeza é a necessidade da economia de combustível a longo prazo em todo o país.
Forma alternativa?

Desde a última quarta-feira, quando a gasolina chegou a R$ 6, abastecer é luxo. Foto: Rodrigo Silva / Esp. DP  - Desde a última quarta-feira, quando a gasolina chegou a R$ 6, abastecer é luxo. Foto: Rodrigo Silva / Esp. DP
Instalar o kit de gás natural veicular no carro pode ser uma opção no atual cenário do Brasil. Deixando de lado o mito de que o combustível influencia na perda de potência de motor, isso porque agora o sistema funciona de forma parecida com a injeção eletrônica, o que torna a perda de potência menor, para realizar a instalação é preciso escolher a oficina depois de verificar no site do Inmetro a lista das que são homologadas pelo órgão. Depois disso, é só levar o veículo para a colocação do kit. “Esse procedimento dura apenas um dia para ser realizado”, aponta o proprietário da Via Gás Eimar Morais. Não existe um tipo de veículo que melhor possa receber o GNV. “Qualquer carro a gasolina ou flex pode ter o kit instalado. O preço inicial é de aproximadamente R$ 3.200”, esclarece o especialista. A diferença do abastecimento com o gás ante a gasolina supera os 50% no estado, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado - Abegás.

Para economizar o ouro líquido

Instalação do kit de GNV pode ser alternativa ao caos. Foto: Marlon Diego / Esp. DP - Instalação do kit de GNV pode ser alternativa ao caos. Foto: Marlon Diego / Esp. DP
Respeite a troca
de marchas
Procure trocar as marchas sempre na rotação correta, mantendo o giro do motor compatível à marcha escolhida.

Mantenha a manutenção em dia
A manutenção em dia evita que o motor consuma mais combustível que o necessário, além de aumentar a vida útil do componente. É importante checar regularmente e, se necessário, trocar os filtros de ar, de óleo, de combustível e fazer a substituição das velas.

Uso do ar-condicionado
O uso do ar condicionado está ligado diretamente ao consumo de combustível, já que o equipamento é operado pelo motor. Carros com menor cilindrada “gastam mais” com o ar ligado. Por isso, use o ar apenas quando realmente for necessário. Vale ressaltar que na estrada, em velocidades superiores a 90 km/h, especialistas afirmam que vale mais a pena usar o ar-condicionado do que andar com as janelas do carro abertas, aumentando assim o arrasto e o consumo de combustível.

Não acelere com o carro desengatado
Aquecer o motor antes de sair, hoje em dia, se tornou desnecessário, já que os propulsores contam com injeção eletrônica. O sistema atual dá conta de fazer o carro andar mesmo no frio. Para modelos flex, lembre-se de abastecer o tanquinho de partida a frio (se ainda tiver). Além de gastar combustível à toa, esquentar o motor num carro com injeção eletrônica pode desgastar as peças e diminuir sua vida útil.

Evite levar muito peso no carro
Estar sempre com carro cheio também contribui para aumentar o gasto de combustível. Cargas superiores a 10 quilos já influenciam no consumo, pois o motor terá que fazer mais força para colocar o veículo em movimento. Procure levar no carro somente o que precisar, evitando guardar malas, coisas pesadas etc.

Engarrafamento e ar-condicionado são vilões por hora. Thalyta Tavares / Esp. DP - Engarrafamento e ar-condicionado são vilões por hora. Thalyta Tavares / Esp. DP
Verifique a pressão dos pneus
Circular com os pneus em boas condições é essencial para economizar combustível. Pneus murchos influenciam diretamente no rendimento do veículo, pois geram mais atrito com a via.

Mantenha o alinhamento e o balanceamento em dia
O alinhamento correto faz com que os pneus se desgastem menos e o balanceamento evita trepidações ao rodar. Além disso, previnem o aumento do atrito dos pneus no solo além do necessário e não deixam que o veículo perca desempenho.

Não acelere com o carro parado no farol
Quando estiver parado no farol, a aceleração é desnecessária e contribui para esvaziar o tanque mais rápido. Outra prática que ajuda na economia é sempre ir observando o trânsito à frente e, ao notar que o tráfego vai parar, desacelere o veículo aos poucos antes de frear. Com o carro engrenado, mas sem acelerar, a injeção eletrônica envia menos combustível ao motor.

Evite acelerar e frear bruscamente
Dirigir de maneira agressiva, além de ser perigoso, também não é interessante quando o objetivo é economizar combustível. Para prevenir o desgaste do motor, é importante trocar as marchas de forma suave e medir a força do pé no acelerador para não desperdiçar combustível.

Mantenha uma velocidade constante
O trânsito intenso das grandes cidades também contribui para que o combustível vá embora mais rápido, já que é muito comum andar e parar a todo instante. As acelerações e freadas exigem mais do motor e aumentam o consumo.

Deixar o carro no ponto morto em descidas?
Apesar de muita gente acreditar que é econômico deixar o carro em ponto morto, essa pratica não é recomendada por uma questão de segurança. Se o carro estiver desengatado, o sistema de freio será mais exigido e pode falhar. A dica é deixar o carro engatado na marcha mais alta, mesmo sem acelerar.

 

Encontre seu veículo

Veículos

Últimas notícias

ver todas
16 de outubro de 2018
15 de outubro de 2018