Mercado

São poucas opções de carros abaixo dos R$ 40 mil

Conheça os carros novos mais baratos do atual cenário econômico do país

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 05/05/2018 15:28 / atualizado em 07/05/2018 14:39 Thainá Nogueira /Diario de Pernambuco

Já parou para reparar que é quase impossível comprar um carro novo abaixo dos R$ 40 mil atualmente? Essa realidade é vigente e nova por aqui. É só lembrar que, quando foi lançado, em 2013, o Hyundai HB20 partia dos R$ 31.995. Já o Onix, carro de entrada da Chevrolet, partia dos R$ 29.990 em 2012. Cinco anos depois, esses carros não saem das lojas por menos de R$ 45 mil. Hoje em dia, não dá para comprar nenhum modelo zero quilômetros, mesmo que “pelado”, por menos de R$ 32 mil, valor da versão de entrada do Renault Kwid. O aumento é relativamente explicado pela inflação, que é uma velha conhecida do cidadão e remete ao aumento persistente e generalizado do preço de uma cesta básica de produtos em um país. Mas motivos racionais à parte, os novos valores conseguem deixar o segmento de carros novos de entrada cada vez mais salgado. Sobraram alguns que conseguem se encaixar no bolso do consumidor, que míngua aumento de cerca de 1,81% ao ano no salário mínimo. Conheça algumas das opções que podem ser fortes candidatas para os mais dispostos a investir em um carro zero quilômetro no país.   

Mobi, hoje, parte dos R$ 34.690. Foto: Fiat / Divulgação - Mobi, hoje, parte dos R$ 34.690. Foto: Fiat / Divulgação
Fiat Mobi

Em 2016 a Fiat estreava o Mobi. Na época, o subcompacto urbano partia dos R$ 31.900, hoje em dia, a versão de entrada tem valor na casa dos R$ 34.690. A opção topo Moby Way On bate os R$ 43.800. O motor Fire Evo Flex 1.0, de até 75 cv de potência equipa o veículo. Com saídas rápidas e uma desenvoltura no trânsito, o Mobi deixa muito carrão para trás. E isso tudo com um consumo de combustível que impressiona pela economia. Rodando em ruas pouco congestionadas (sim, isso existe no Recife fora dos horários de pico), o computador de bordo marcava um consumo de 14,7 km/l com o ar-condicionado ligado. O carro é ideal para quem procura um automóvel para locomoção prática na cidade; quase não tem porta-malas (210 litros) porque na cidade você não leva bagagens; e tem uma direção levíssima, o que ajuda na hora de estacionar.

Kwid apareceu no mercado em agosto do ano passado. Foto: Renault / Divulgação - Kwid apareceu no mercado em agosto do ano passado. Foto: Renault / Divulgação
Renault Kwid

Em agosto do ano passado a Renault colocava em cena o Kwid. O compacto é o que existe atualmente de mais barato nas concessionárias no quesito carro zero quilômetro. Ele parte dos R$ 32.490 na opção Life, que é básica. Mas a versão que agrada e convence é a Intense, que fica na casa dos R$ 40.740. O veículo carrega um motor 1.0 SCe de três cilindros e 66 cv. Com esse conjunto mecânico, o Kwid se torna o carro com o menor consumo de combustível do segmento no uso misto.

March já aumentou cerca de R$ 7 mil desde o seu lançamento. Foto: Nissan / Divulgação - March já aumentou cerca de R$ 7 mil desde o seu lançamento. Foto: Nissan / Divulgação
Nissan March

O March surgiu em 2014 e partia dos R$ 33 mil. De lá para cá, aproximadamente R$ 7 mil foram agregados para a versão de entrada do hatch. Hoje em dia ele fica entre R$ 39.990 e R$ 59.990. O carro é dividido, desde o seu nascimento, em seis opções de escolha. Desde a 1.0 Conforto ao topo da gamal 1.6 SL. O motor 1.0 possui 74 cavalos e 10 kgf.m de torque. ABS , Ar-condicionado, direção elétricae air bags, claro, são de série desde o primeiro modelo.

São necessários quase 13 segundos para o Gol sair da inércia e chegar aos 100 km/h. Foto: Volkswagen / Divulgação - São necessários quase 13 segundos para o Gol sair da inércia e chegar aos 100 km/h. Foto: Volkswagen / Divulgação
Volkswagen Gol

A Volkswagen acertou quando produziu pela primeira vez o Gol em 1980 e até hoje atualiza e muda o hatch. Hoje em dia, o veículo parte dos R$ 39.990 na motorização 1.0 de três cilindros. Para o meio urbano, o propulsor 1.0 com três cilindros de cinco velocidades de 78 cv, que a opção carrega, satisfaz. O motorista tem que lidar com uma direção hidráulica e não o conjunto elétrico disponível no Up!. São necessários quase 13 segundos para o veículo ir de 0 a 100 km/h. Não pode ter pressa.

 

Encontre seu veículo

Veículos

Últimas notícias

ver todas
15 de agosto de 2018
14 de agosto de 2018