Equipamento

Toque de autonomia e força para o acelerador

Pedal eletrônico é alternativa pós-fábrica para ampliar a velocidade, mas é preciso atender às normas de trânsito

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 02/02/2017 09:00 Victor Lacerda


Para obter uma resposta melhor na aceleração, uma solução que já existe no mercado pode encher os olhos dos apaixonados por personalização. Em modelos mais novos, já é fácil de encontrar sistemas que agilizem o funcionamento da relação velocidade e tempo. Exemplo é o emulador de aceleração, acessório proveniente da tecnologia plug&play (plugue e use), responsável pela instalação mais rápida do pedal, relacionando-o diretamente com o sistema eletrônico.
O acessório é indicado, principalmente, para dois tipos de necessidades: aceleradores que vêm de fábrica com um certo retardo ou para os amantes de uma condução mais esportiva, mas que contam com um veículo convencional. Os carros com esse “delay” de reação podem ser chamados de drive-by-wire, EGÁS ou throttle-by-wire. Assim, quando o tempo da reação é melhorado, para os amantes da velocidade torna-se ainda mais prazeroso.

De acordo com a DTE Systems, detentora da PedalBox, a tecla de programação desenvolvida permite selecionar quatro modos de condução diferentes, gerando melhor autonomia. Isso é possível através da substituição do cabo Bowden, sistema comum dos aceleradores de fábrica, por um sinal elétrico.

Segundo a DTE, um dos motivos mais requisitados para a aquisição do acessório é a preservação da gestão do motor de série e facilidade em instalá-lo. As marcas mais conhecidas de vendagem de pedais disponibilizam um manual de instrução que indica como o condutor ou mecânico deve instalar. O mais comum é conectar o cabo adaptador ao produto, calibrar como as instruções indicam e começar a utilizar.  O da marca SpeedPro, por exemplo, custa R$ 1.050.

Victor Lacerda/Esp. DP
A dificuldade de encontrar o acessório fez com que o universitário Antônio Araújo, de 20 anos, procurasse uma loja equipadora na cidade de Natal, no Rio Grande do Norte. “Tenho um Jetta de 2013 e assim que percebi que o rendimento do acelerador não atendia às minhas expectativas, procurei um mecânico, que me orientou o tipo e onde eu poderia instalar”, explicou. O modelo escolhido de box acelerador foi mais moderno, pois funciona com apenas um toque ao lado do câmbio. O estudante ainda destacou que a variedade de potência, que totaliza quatro tipos, é o maior diferencial no produto, adquirido há um ano.

O corretor da Porto Seguro Marcelo Jorge destaca a importância da posição da seguradora sobre a alteração do comportamento dinâmico do veículo. “Dependendo do caso, não existe uma perda automática da cobertura, mas pode acontecer da seguradora se negar a cobrir o item instalado, até por entender que houve uma alteração na segurança do veículo”, explica o especialista.
 
Atenção ao equipar:
 
- Mudança deve ter autorização do Detran
 
- Alteração irregular pode acarretar R$ 195 e pontos na CNH
 
- Carro ser apreendido
 
*Art. 230 do Código de Trânsito Brasileiro
 

Tags: brasil

Encontre seu veículo
O ano inicial não pode ser maior que o ano final.
O preço inicial não pode ser maior que o preço final.

Refinar busca

Últimas notícias

ver todas
20 de abril de 2017
19 de abril de 2017