Cuidados

Viaje com seu animal em segurança

Transportar os bichinhos de estimação no carro em equipamento apropriado é exigência dos órgãos de trânsito e multa pode chegar a R$ 195

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 09/01/2017 10:53 / atualizado em 09/01/2017 12:08 Thainá Nogueira /Diario de Pernambuco

Janeiro é tradicionalmente o mês das férias. Pegar a estrada para viajar é a atitude de muitas famílias. Nada como reforçar que o seu mascote não pode ficar em casama al sozinho nem ser transportado de foreatória dentro do automóvel. Existem exigências do Denatran para o translado dos animais de estimação e a não obediência dessa norma pode doer no bolso e na segurança do animal.

 

Magna Dornelas já pode viajar dentro das normas com o seu cão - Thainá Nogueira/Esp. DP Magna Dornelas já pode viajar dentro das normas com o seu cão
 

 

A professora Magna Dornelas já está pronta para sair da rotina junto com o seu melhor amigo, um lhasa apso. “Comprei a cadeirinha para transportá-lo há poucas semanas porque já estava pensando nesse período de viagens. Tenho medo que em uma freiada ou em qualquer outra eventualidade, ele se machuque”, afirma. Dornelas também comenta que a preocupação é tanta que nem cogita trocar o lugar da cadeirinha para colocar outra pessoa no lugar. “Não dá. O cachorro tem o lugar dele no banco de trás. Quando vou sair com ele, já conto que são apenas outras três pessoas que podem ir comigo”, completa.
Segundo a veterinária Adriana Cardozo, independente de qual for o animal, é necessário que ele viaje no local indicado, tanto por segurança como conforto. "A caixinha ideal é aquela que permite que o animal sente sem encostar a cabeça no teto e consiga dar um giro de 360 graus com facilidade. O cinto é preso ao peitoral", comenta. A caixa pode ser encontrada por preços que partem de R$ 50 reais e chegam a R$ 1 mil, a depender do tamanho e do modelo escolhido. O cinto custa entre R$ 50 e R$ 150.
É preciso uma dose extra de paciência durante a viagem, pois é possível que o mascote não queira entrar na caixinha ou fique chorando durante o trajeto. “Petiscos ajudam. Se o animal for estressado, pode ingerir calmantes adequados, mas é necessário consultar um especialista”, explica a veterinária. Outra dica importante é parar algumas vezes durante a viagem, para que o seu companheiro descanse, tome água e faça as suas necessidades fisiológicas. No mais, nada de som alto. “É muito estressante para os cachorros, que têm uma audição muito sensível”, complementa. E lembre-se: nada de cachorros na janela ou no colo para não atrapalhar na condução ou até causar um acidente mais grave.
Perigo:
A Royal Society for the Prevention of Accidents, instituto britânico que realiza estudos de prevenção para vários tipos de acidentes, afirma que uma batida a 50 km/h transformaria um cão de 22,5 kg, a mesma medida de um poodle grande, por exemplo, ser atirado contra o motorista com peso equivalente ao de nove homens de 76 kg, ou seja, 684 kg.

Por dentro da lei:

Art. 235.
Conduzir pessoas, animais ou carga nas partes externas do veículo, salvo nos casos devidamente autorizados:
l Infração – grave; (5 pontos na
CNH)
l Penalidade – multa; (R$ 195)
l Medida administrativa – retenção do veículo para transbordo.

Art. 252.
Dirigir o veículo:
l II – transportando pessoas, animais ou volume à sua esquerda ou entre os braços e pernas;
l Infração – média; (4 pontos na
CNH)
l Penalidade – multa.(R$ 130)

 

 

Encontre seu veículo
O ano inicial não pode ser maior que o ano final.
O preço inicial não pode ser maior que o preço final.

Refinar busca

Últimas notícias

ver todas
20 de setembro de 2017
19 de setembro de 2017