Expectativas

Confira as principais tendências do mundo automotivo para 2017

Modernidade nos carros, motores turbos e sistemas elétricos são só o começo. Inovação para o mercado dos automóveis se tornou prioridade para as montadoras

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 31/12/2016 08:00 / atualizado em 29/12/2016 12:22 Thainá Nogueira /Diario de Pernambuco


Veículos elétricos, econômicos, potentes e conectados. O aprimoramento dessa realidade é a tendência para os próximos anos e 2017 já começa acelerado com o Salão Internacional de Detroit na próxima semana. As montadoras têm investido mais em tecnologias para se adequar à conectividade do consumidor. Estudosa mostram que os próximos carros serão menos poluentes, consumindo pouco ou nenhum combustível fóssil, com foco em segurança e preços competitivos. Na edição de hoje você poderá conferir como estão sendo desenvolvidas essas tecnologias e o que esperar para os próximos lançamentos, que já começam com o novo Chevrolet Tracker.

 

Expectativa é de que até 2021 todas as montadoras tenham veículos com motores turbos - Citroen / Divulgação Expectativa é de que até 2021 todas as montadoras tenham veículos com motores turbos
 

 

Exemplos de motores empolgantes, o Volkswagen up! TSI com propulsor três cilindros 1.0 turbo e o Fiat Punto T-Jet com um 1.4 também turbo são símbolos do futuro turbinado. A expectativa de 2017 é a grande maioria das montadoras lançar modelos com a opção. Renault, Chevrolet e Toyota já anunciaram que têm o intuito de aderir àmoda com os seus hatchs médios, Captur, Onix e CH-R, respectivamente. Enquanto isso não acontece, vale a pena o consumidor deixar de lado qualquer preconceito com o sistema e entender o funcionamento do turbo: enquanto o gás expelido pelo escapamento gira uma turbina, este mesmo movimento faz um compressor de ar entrar em funcionamento. Esse sistema faz a admissão do ar, comprime e envia para os cilindros, que acabam com uma maior quantidade de ar e combustível, resultando em mais potência e força para o automóvel.

 

Carro da Google é vanguar no segmento dos autônomos - Google / Divulgação Carro da Google é vanguar no segmento dos autônomos
 


Passar horas dirigindo, acumular estresse e se preocupar com o trânsito podem ser tarefas obsoletas. Isso porque os carros autônomos do Google já estão em fases finais de testes nos Estados Unidos. A Tesla já lançou o seu sistema de direção automática e a Cadillac está a passos rápidos para fazer o mesmo nos próximos meses. Audi, Mercedes-Benz e BMW caminham para esse futuro independente com os dispositivos de série nos veículos para manter a velocidade indicada e o motorista dispensar o pé no freio ou acelerador. Especula-se que, no próximo ano, ainda mais tecnologias autônomas sejam lançadas, como a popularização do V2V (comunicação entre veículos) e a regulamentação estatal em países europeus para os carros que dispensam o uso de motorista circular. Vale lembrar que, apesar de sua cota de acidentes, os autônomos são considerados muito mais seguros do que os conduzidos por humanos.

 

Audi já trabalha com programa que permite compartilhamento de carros - Audi / Divulgação Audi já trabalha com programa que permite compartilhamento de carros
 

 

Tendência nos Estados Unidos e na Europa, o compartilhamento de carros, também conhecido como car sharing é a grande expectativa de ascensão no Brasil para 2017. O potencial do mercado brasileiro já despertou a atenção de desenvolvedores de aplicativos, donos de veículos e até das montadoras. O serviço pode ser a solução para quem precisa de um carro por períodos curtos. Mais barata e prática que o sistema convencional de aluguel, a pedida permite que quem possuir um veículo o alugue a quem não tem. Capitais como Curitiba e Rio de Janeiro já andam a passos rápidos para a viabilidade na concessão do serviço. No Recife, o processo espera iniciativas públicas. Em São Paulo, já está disponível. Exemplo disso é a total funcionalidade na capital paulista do aplicativo Pegcar, que tem um boa procura e avaliação do público. Há ainda o Fleety, que atua no Rio de Janeiro e Curitiba. Via de regra, o preço do compartilhamento através dos aplicativos é definido pelo dono do carro, que pode ser alugado por algumas horas ou vários dias. O locatário também paga uma taxa que bancará a assistência 24 horas e o seguro do veículo. Tudo pode ser negociado.

 

Chevrolet inovou o mercado com o lançamento do OnStar e criou tendência - Chevrolet / Divulgação Chevrolet inovou o mercado com o lançamento do OnStar e criou tendência
 

 

Cada vez mais necessária, a conectividade dos veículos com as montadoras chega a ser item decisivo na hora da escolha do carro novo. Isso porque as centrais multimídias têm caído cada vez mais no gosto popular. Dirigir escutando playlist personalizada do Spotify ou fazer ligações sem se preocupar com multas são mordomias que o consumidor tem procurado. Até as empresas que desenvolvem aplicativos já perceberam que o público que busca o serviço para uma maior comodidade e praticidade na hora de dirigir é ativo e disposto a pagar pelo conforto. Para tanto, as montadoras já anunciaram que nos próximos anos a tecnologia  estampará a lista de itens de série de muitos veículos de entrada. Inclusive, o sistema OnStar da Chevrolet, pacote de serviços voltados à comodidade e segurança do motorista, aparecerá no Onix LT nas próximas versões e ganhará novos recursos. A Ford também trabalha com o mesmo tipo de conectividade e já prometeu baratear e popularizar o dispositivo. É só uma questão de (pouco) tempo para que o uso dessas ferramentas, principalmente em questões emergenciais, se popularizem em boa parte dos automóveis. 

 

 

Encontre seu veículo
O ano inicial não pode ser maior que o ano final.
O preço inicial não pode ser maior que o preço final.

Refinar busca

Últimas notícias

ver todas
27 de março de 2017