Seminovos

Segmento de luxo pode ser mais acessível do que se imagina

Apesar da retenção nas vendas de veículos novos, os seminovos premium esperam continuar a melhoria de 2016

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 01/12/2016 17:30 Débora Eloy

Optar por um veículo premium não é mais privilégio das classes mais abastadas. Graças à comercialização dos seminovos, agora aquele comprador que tem dinheiro para investir em um menos luxuoso 0 km pode adquirir modelos da Lexus, Mercedes-Benz, Audi ou Land Rover. Em 2016 esse segmento teve um acréscimo entre 2 a 3 modelos, alguns com aumento de 10% nas vendas.

 

Pátio bem valorizado dos veículos mais sofisticados nas revendas especializadas - Anderson Freire / Esp. DP Pátio bem valorizado dos veículos mais sofisticados nas revendas especializadas
 

 

O valor no preço dos carros 0 km sofreu aumentos consecutivos em 2016, fazendo com que os veículos fossem os mais caros dos últimos cinco anos. Isso acabou encostando o valor de um seminovo premium com os modelos 0 km sem tanto requinte.

“O mercado de seminovos é um segmento que tem crescido. São carros muito novos, até pelo perfil dos clientes que trocam de veículos muito rápido, principalmente os premiuns. São modelos interessantes para quem vai comprar um seminovo e não pode gastar tanto”, revela o diretor geral da Via Sul Roberto Figueiredo. A expectativa para o empresário é uma melhora gradativa em 2017. “Esperamos um crescimento não só na venda dos seminovos, mas também de 0km”. O diretor comercial da Auto Parvi Gustavo Araújo tem como suporte as vendas deste ano. “Baseando-se em 2016, o mercado premium de seminovos é bastante positivo por algumas vertentes. Antes a depreciação era menor, hoje essa distância nos preços acabou”.

Economia vale a diferença
A diferença entre um modelo premium zero quilômetro e um seminovo top pode chegar a quase R$ 100 mil, por causa da depreciação em relação à versão anterior. Os modelos mais procurados são também os mais conhecidos, entre eles está a Audi. “A montadora conseguiu ótimos números de vendas de seminovos em 2016. A nossa expectativa é de que os números aumentem em 2017”, revela Gustavo Araújo.

 

Para Gustavo, a expectativa é de que o segmento melhore no próximo ano - Anderson Freire / Esp. DP Para Gustavo, a expectativa é de que o segmento melhore no próximo ano
 

 

Outros veículos que também possuem boas vendas em relação aos seminovos são aquelas que possuem mais renome no mercado como Audi, BMW, Mercedes e Land Rover, esta última com uma depreciação maior o faz com que o segmento de seminovos aqueça. “A nossa aposta para 2017 são os modelos da Lexus que já circulam e são excelentes. Aqui comercializamos desde 0 km a seminovos exclusivos. No próximo ano esperamos ampliar ainda mais o setor e diversificar em nossos pontos de venda.” explica Araújo.

Em um comparativo de preços, entre os carros mais vendidos da Auto Parvi está o Audi A3 sedã, que seminovo a partir dos R$ 70 mil, enquanto um 0km custa pouco mais de R$ 100 mil. Como os seminovos de luxo possuem um estado de conservação bem alto, a relação custo-benefício se destaca. “É a oportunidade de comprar um modelo mais completo e equipado. Um premium 0 km mais simples parte dos R$ 110 mil, enquanto com R$ 90 mil é possível adquirir um seminovo top de linha com muito mais itens de série”, comenta Gustavo.

As próprias montadoras agora apostam no mercado de seminovos. Algumas conseguem até estender as garantias, como é o caso da Audi, que tem uma proteção de dois anos, podendo ser estendida por mais dois. “Isso faz com que o sentimento do consumidor quando compra um seminovo seja o mesmo de ter um carro zero”, conclui Araújo.

 

 

Tags: campeonato

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
Encontre seu veículo
O ano inicial não pode ser maior que o ano final.
O preço inicial não pode ser maior que o preço final.

Refinar busca

Últimas notícias

ver todas
16 de outubro de 2017