Levantamento

Mulheres: motoristas com afeto e sem (muito) carinho

Pesquisa mostra que as mulheres não têm o mesmo cuidado com o carango que os homens têm; Elas são, porém, decisivas na hora da compra

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 08/08/2016 13:32 Thainá Nogueira /Diario de Pernambuco

A polêmica sobre quem dirige melhor, o homem ou a mulher, alimenta muitas discussões entre os gêneros e quase nunca alcança um desfecho amigável. Vamos abordar hoje um tema que também pode criar uma certa discordância entre os sexos. Afinal, quem cuida melhor do carro?

Informações divulgadas pela empresa Easy Carros desvendou essa questão através de seu banco de dados, que conta com cerca de 25 mil pessoas de 32 cidades brasileiras. Segundo o levantamento, os homens utilizam 50% mais serviços automotivos do que as mulheres durante o ano, seja uma simples lavagem, um polimento, uma troca de óleo, ou outros cuidados oferecidos para o carango. “Historicamente, já existia a ideia de que as mulheres tinham um perfil de gastar menos com esses cuidados e agora pudemos comprovar que não se trata de um mito”, destaca Bernardo Franco, diretor da Easy Carros.

 

Empresas auxiliam mulheres como Luiza, que não tem tempo para dar atenção ao carro - Joao Velozo / DP Empresas auxiliam mulheres como Luiza, que não tem tempo para dar atenção ao carro
 

 

Para reverter esse quadro e deixar o mundo automotivo menos sexista, empresas online auxiliam as motoristas que não têm muito tempo para dedicar-se ao veículo. Exemplo disso é a WeCare Auto, companhia que propõe, através de assessoria técnica, uma alternativa para o público que busca tranquilidade de ter o veículo sempre em dia e bem cuidado. O diretor da empresa, Emerson Bernardes, acredita que o público feminino está em busca de conforto e, acima de tudo, praticidade. “Atualmente, a mulher acumula mais atividades, sem poder abrir mão das que já tinha, o que lhe exige decisões rápidas e muita praticidade no dia a dia. Nossos serviços vêm ao encontro desta necessidade, deixando a mulher segura, tranquila e bem assessorada com os assuntos de seu carro”, afirma.

 

Um exemplo do público-alvo da empresa é a professora Luiza Pires, que admite que só organiza ou leva o carro para oficina quando acontece algum problema. “Tanto pelo meu dia a dia agitado na escola, como por falta de tempo livre, não dou a devida atenção à manutenção do veículo”, reconhece.

 

Giully Tavares é acostumada a usar a tecnologia para conduzir melhor na cidade - Malu Cavalcanti / DP Giully Tavares é acostumada a usar a tecnologia para conduzir melhor na cidade
 

 

Há também a opção de aplicativos para smartphones. Estão disponíveis vários softwares que informam sobre o estado do motor do veículo, tempo para realizar as revisões, estado da bateria e até a durabilidade dos pneus de acordo com a quilometragem rodada, além de lugares para estacionar protegidos contra possíveis intempéries.

A enfermeira Giully Tavares é uma das adeptas à tecnologia como auxílio ao manuseio do veículo. “Atualmente, faço uso contínuo do Waze para me guiar, mas esses novos aplicativos para o veículo são essenciais para ajudar na contrução do perfil do motorista”, ressalta. 

 

Mesmo com uma postura pouco ativa em oficinas ou lava-jatos, o sexo feminino é essencial para o mercado automotivo. De acordo com a Fenabrave (entidade que representa os concessionários), as mulheres influenciam em 70% a decisão de compra de um veículo novo. Além disso, a instituição afirma ainda que 30% das compras que são feitas por casais são influenciadas pela opinião feminina.

 

Tags: minas

Encontre seu veículo
O ano inicial não pode ser maior que o ano final.
O preço inicial não pode ser maior que o preço final.

Refinar busca

Últimas notícias

ver todas
21 de março de 2017
20 de março de 2017