Educativo

Castigo para quem desrespeita vagas no Recife

Empresa de estacionamento trava pneus de clientes que estacionam em vagas de idosos e deficientes

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 07/03/2016 13:46 Thainá Nogueira /Diario de Pernambuco

Uma prática curiosa e eficiente tem sido feita por uma empresa de estacionamento no Recife. Trata-se de uma “punição” para os motoristas que estacionam em vagas reservadas de idosos e deficientes ou ocupando duas vagas. A NE Park trava uma das rodas do veículo e deixa um bilhete orientando o motorista a procurar a administração do espaço. A ação é desenvolvida nos dez estacionamentos administrados pela companhia. Segundo o diretor executivo do grupo, Alcides Cardoso, o intuito é conscientizar os condutores. “Em todos os andares colocamos placas informando sobre vagas reservadas, mas mesmo assim as pessoas ignoram e estacionam onde é mais cômodo. Infelizmente tivemos que elaborar essa ação para que diminuíssem a quantidade desses acontecimentos”, afirma. Cardoso explica que o carro é liberado assim que o cliente vai à administração.

 

Trava de pneus é rapidamente liberada quando o cliente vai até a adminstração do estacionamento - Karina Morais/Esp.DP Trava de pneus é rapidamente liberada quando o cliente vai até a adminstração do estacionamento
 

 

O uso indevido de vaga para deficiente é considerado uma infração grave e a multa tem o valor de R$ 127,69, além de cinco pontos na carteira de habilitação, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro. Contudo, em estacionamentos privados, a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano, Cttu, não tem acesso. Assim, a vigilância e as multas não acontecem. O diretor afirma que a prática tem sido elogiada pelos clientes e até pelos motoristas que têm os pneus travados. “Há seis meses começamos com esta prática e percebemos um efeito positivo. Melhorou muito o comportamento dos motoristas”, comemora Alcides Cardoso.

As ações de reeducação de motoristas são medidas feita pelos órgãos públicos competentes. Exemplo é a Turma do Fon Fon, criada pelo Detran/PE. A coordenadora de educação para o trânsito do órgão, Luciana Carvalho, relata a importância das campanhas e ações. “O intuito é sempre tentar conscientizar as pessoas de que o mais fácil e o mais cômodo não é sempre o certo. O triste é ter que alertar sobre isso. Já que era algo pra ser feito instintivamente e não ter que alguém ir lá e lembrar às pessoas o que é o certo a se fazer”, completa.

 

Alcides diz que os clientes não reclamaram da ação - Karina Morais/Esp.DP Alcides diz que os clientes não reclamaram da ação

 

 

 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
Encontre seu veículo
O ano inicial não pode ser maior que o ano final.
O preço inicial não pode ser maior que o preço final.

Refinar busca

Últimas notícias

ver todas
29 de março de 2017