Entrevista

Em entrevista ao Diario, Miguel Fonseca, vice-presidente de marketing, planejamento de vendas e produto, relações públicas e assuntos governamentais da Toyota, fala sobre chegada do Centro de Distribuição da marca em Pernambuco

Centro de Distribuição da montadora em Suape pode receber até 40 mil carros

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 30/11/2015 14:51 / atualizado em 30/11/2015 15:34 Jorge Moraes /Diario de Pernambuco

Fonseca está confiante de que 2016 será um bom ano para Toyota  - Divulgação Fonseca está confiante de que 2016 será um bom ano para Toyota
 


O polo automotivo de Pernambuco cresce diante dos demais estados da região. A chegada da Toyota com a implantação do Centro de Distribuição de veículos, no Complexo Portuário de Suape, mostra a grandeza e a importância do estado como ponto estratégico no desenvolvimento do setor automotivo do Nordeste. São 23 mil metros quadrados e dezenas de novos empregos gerados. São centenas de automóveis compactos e até utilitários que circularão por lá, para do pátio de estocagem chegarem mais rápido ao destino final. Em São Paulo, conversamos com o vice-presidente de marketing, planejamento de vendas e produto, relações públicas e assuntos governamentais, Miguel Fonseca, no cargo desde setembro. Dentro dessa nova estratégia global da montadora de dinamizar de maneira mais rápida seus processos, ele falou ao Diario de Pernambuco em sua primeira entrevista no novo cargo.

"O Nordeste é muito importante para a Toyota"

 

Centro de Distribuição da montadora em Suape pode receber até 40 mil carros  - Roberto Salvador/Divulgacao Centro de Distribuição da montadora em Suape pode receber até 40 mil carros
 

 

A Toyota expressa o seu compromisso ainda maior com o Nordeste instalando em Suape o Centro de Distribuição de Veículos?

A região Nordeste é extremamente importante para os negócios da Toyota no Brasil e nós agradecemos o alto grau de representatividade que as nossas concessionárias na região possuem. Esse Centro de Distribuição reforça a nossa presença na região e, juntamente com nossa rede de concessionárias, queremos oferecer a melhor experiência de compra e propriedade de um automóvel aos residentes da região.

Pernambuco disputou com mais algum estado?


Nós sempre estudamos várias possibilidades de melhoria para as nossas operações logísticas e a melhor alternativa, considerando todos os aspectos, foi o projeto de Suape. O centro em Suape nos permite uma distribuição muito eficiente de nossos veículos às concessionárias e aos clientes do Nordeste, bem como uma redução da pegada de carbono em toda a operação (redução de 1.600 toneladas de CO2, equivalente a uma nova floresta do tamanho de 2.000 campos de futebol). A Toyota tem raízes em muitas partes do Brasil. Temos o nosso Centro de Distribuição de Guaíba, no Rio Grande do Sul, que continuará em operação mesmo com a abertura de Suape. Temos também nosso Centro de Distribuição de Vitória, por onde importamos nossos veículos do Japão. Temos nossas quatro fábricas e armazém de peças, em São Paulo, e nosso escritório de Brasília. O que nós queremos é contribuir com o país e com a sociedade como um todo, o máximo possível.


Pernambuco também poderá receber a ampliação do investimento com um galpão de peças para atender a toda região?


No momento, o projeto contempla apenas o Centro de Distribuição de veículos. Não há um plano para a instalação de um galpão de peças nesse momento, mas essa é uma possibilidade que pode ser estudada no futuro, dependendo da evolução do mercado e das unidades da Toyota em operação.

O governador Paulo Câmara quer a montadora. Dá para sonhar com um Brasil melhor e com uma nova fábrica da Toyota aqui no estado?


Não há planos para a abertura de uma nova fábrica no Brasil neste momento.

O CD vai ter perto de 30 mil metros quadrados e está instalado ao lado da fábrica da Shineray no complexo portuário. A capacidade foi montada para receber até 30 mil veículos anualmente. Ela pode ser ampliada?


Na verdade, são 23.000 metros quadrados e capacidade para receber 40 mil carros anualmente. A evolução do mercado e a penetração de vendas na região irá determinar a necessidade de ampliação da operação das nossas instalações em Pernambuco.

Como irá funcionar o CD? Toda linha deverá ser distribuída por lá? O Rav-4 e o novo Prius por exemplo, que vêm do Japão, também desembarcam por Suape?


O Centro de Distribuição de Suape distribuirá para toda a região Nordeste os seguintes produtos: o Corolla e o Etios, produzidos no estado de São Paulo, e Hilux e SW4, produzidos na planta da Toyota de Zárate, na Argentina. Os nossos veículos importados continuam tendo como ponto de distribuição o estado do Espírito Santo, por meio do Centro de Distribuição que temos em Vitória.

E o Nordeste continua sendo responsável por 16% das vendas da montadora no país?


No acumulado de janeiro a outubro de 2015, nós comercializamos 145.995 unidades em todo o Brasil e a região Nordeste foi responsável por 21% desse total, o que mostra um crescimento em relação a 2014. O Nordeste é muito importante para a Toyota, como pode ver. Nós agradecemos aos nossos concessionários o excelente nível de serviço oferecido e aos nossos clientes pela preferência aos nossos produtos, o que nos fez crescer na região frente a um mercado em declínio.

Dá para fazer um 2016 melhor comparado a 2015? O mercado está tão pessimista...


Sim, o mercado deve continuar desafiador. No entanto, estamos confiantes que 2016 será um bom ano para a Toyota. No ano que vem, devemos superar, pela primeira vez em nossa história, a marca das 200 mil unidades vendidas no país. Além disso, nossos investimentos não foram interrompidos e a fábrica de motores de Porto Feliz, no interior do estado de São Paulo, que produzirá os motores do Etios, 1.3L e 1.5L, continua seu planejamento em dia e com previsão de abertura no primeiro semestre de 2016. Esta fábrica, que tinha sido planejada para começar a operar com 74 mil unidades/ano, já começará com uma capacidade de 108 mil unidades/ano, para atender ao aumento de demanda do Etios. Isso vai ocorrer a partir do primeiro trimestre de 2016.

Existe alguma receita em especial para colocar o Corolla, um dos sedãs dos mais desejados do Brasil, na lista dos mais vendidos?


Nossos carros são feitos com base na voz do cliente. Procuramos entender quais são as necessidades dos nossos consumidores e buscamos atendê-las. Por sua vez, os clientes reconhecem a qualidade, durabilidade, confiabilidade, custo de propriedade e valor de revenda dos nossos carros. Acho que esse é o segredo, não só do Corolla, mas de toda a linha de produtos da Toyota.

Os próximos lançamentos já a partir de março serão o Hilux SW4, depois Prius, facelift do Corolla e Etios automático? Nessa ordem? Pernambuco poderá contemplar a apresentação de algum desses modelos?


Os lançamentos começam antes de março. O ano que vem será muito intenso para nós. Mas não posso falar muito do nosso calendário por enquanto. Sobre fazer algum evento de lançamento em Pernambuco, por que não? A região é muito linda. Ainda não definimos isso, mas não esqueça que quando lançamos o Prius no Brasil, em 2011, fizemos um evento dividido entre os estados de Pernambuco e Alagoas. A hospitalidade das pessoas no Nordeste é algo que sempre nos deixa encantados.


O que a Lexus está fazendo no Brasil? Quais são os planos? Veio para ficar?


A Lexus é uma marca muito importante para a Toyota e da qual temos muito orgulho. Atualmente, comercializamos seis modelos no mercado brasileiro, todos importados (NX 200t, CT200h, IS250, ES350, RX350 e LS460L). A Lexus conta, atualmente, com 14 pontos de serviços distribuídos em 10 capitais do Brasil. Os estabelecimentos ficam em espaços exclusivos dentro das distribuidoras Toyota nessas cidades. As estruturas de atendimento foram construídas de forma a oferecer os padrões da marca e proporcionar o conceito de hospitalidade (Omotenashi), que diferencia a Lexus de seus concorrentes. As unidades atendem, também, por todo o processo de vendas para os clientes nacionais da Lexus. Além disso, na cidade de São Paulo, a Lexus mantém sua loja exclusiva, a primeira em solo brasileiro, inaugurada em junho de 2012. No que se refere a vendas, este ano tem sido excelente para a Lexus; no acumulado de janeiro a outubro de 2015, comercializamos 337 unidades Lexus no território nacional, volume 76,5% superior ao mesmo período do ano passado. Em resumo, queremos ampliar a presença da marca Lexus no Brasil e torná-la mais conhecida, oferecendo um nível de serviço exclusivo que vai ao encontro do compromisso da marca com seus clientes e a qualidade de seus produtos. Nós não buscamos volume, mas construir uma oportunidade única para os nossos clientes de desfrutarem novas possiblidades. Queremos que a Lexus se torne uma experiência de propriedade fantástica para eles.

Saiba Mais


A Toyota Motor Company foi fundada em 1937 por Kichiro Toyota, que dois anos antes havia apresentado ao mundo o protótipo A1, o primeiro veículo motorizado do Japão.

Hoje a Toyota é a maior montadora do planeta, com atuação em 160 países.

A primeira operação da Toyota fora do Japão foi instalada no Brasil, com a produção do modelo Landcruiser, na pioneira fábrica de São Paulo, em 1958.

A partir de 1962 a linha de produção foi transferida para a nova planta em São Bernardo do Campo, onde foi fabricado o veículo que entrou para a história do mercado automobilístico brasileiro: o Bandeirante.

Agora, a montadora japonesa chega a Pernambuco, com a instalação de um Centro de Distribuição de veículos em Suape.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
Encontre seu veículo
O ano inicial não pode ser maior que o ano final.
O preço inicial não pode ser maior que o preço final.

Refinar busca

Últimas notícias

ver todas
18 de outubro de 2017