Test-drive

Audi TT é pura emoção

Curtimos testar a versão topo de linha, S Line; motor 2.0 de 230 cavalos é suficiente, mas poderia respoder mais rápido

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 13/10/2015 11:15 Jorge Moraes /Diario de Pernambuco
Visual é bonito e vai pesar na hora da compra  - Bruno Vasconcelos/DP/D.A Press Visual é bonito e vai pesar na hora da compra


Vou confessar: o TT impressiona. Harmonia, design, cabine e motor. Tudo irretocável. A versão S line, topo, diferente do esportivo de entrada vai cativá-lo pelos mimos que ficaram para trás na Attraction. O Audi mais sedutor, depois do R8, tem cara de bravo e se tornou o modelo de referência dos novos traços que também deram um renovado astral ao A4, oficialmente apresentado no Salão de Frankfurt.

O test drive fora das pistas significa o seguinte: passeie, dirija na cidade entre 50 Km/h e 60 Km/h e sinta o que oferece o prazer de conduzir o veículo. Recomenda-se não olhar para os lados porque será fácil encontrar alguém torcendo o pescoço e pensando alto: uau! Que máquina!

O motor 2.0 de 230 cavalos merece um capítulo à parte. São quase 38 quilos de torque (37,7 Kgfm) para transmistir a sensação de imponência. É suficiente? Sim. Dá para se divertir, porém a engenharia fica devendo uma resposta mais rápida entre o pedal do acelerador e a "pegada" da pressão do turbo para a largada ser mais emocionante.

Cabine é pura sedução com posição de dirigir enterrada - Malagrine/divulgação Cabine é pura sedução com posição de dirigir enterrada


Isso não acontece, por exemplo, no T5 2.0 da Volvo, que no grandão XC90 recebe o auxílio do compressor e, aí sim, é do tipo tocou, pegou. O ronco provocado pelas duas saádas de escape deveria ser também mais atrevido. Acho que estou sendo justo nas ponderações.

Vamos acelerar porque a força já está disponível entre 1.600 rpm e 3.400 rpm. A Audi revela na ficha um 0 a 100 km/h em 5,9 segundos. A máxima, limitada eletronicamente, é de 250 km/h. A grande mudança no motor, além dos 19 cv a mais está relacionada ao consumo. O 2.0 EA888 passa a ter o sistema duplo de injeção, direta ou indireta.

Em retomadas ou pisadas mais fortes opera a injeção direta de combustível. O contrário é o modo indireto, suave. A média da Audi na cidade foi bem parecida com a nossa (fizemos 9,5 Km/l) e eles dizem que o consumo local é de 9,9 km/l, e na estrada, de 12,7 km/l.

A suspensão nota dez. O botão de controle no painel permite o registro do modo de condução e opte sempre pelo esportivo porque se a decisão for jogar a alavanca para o modo Sport o reconhecimento será mais rápido ante ao longo automático.
O que dizer da sintonia mecânica entre motor e câmbio? Dizer o seguinte: os alemães fizeram o negócio tão bem feito que aquele motorista chato dono da razão, que geralmente diz "a caixa poderia ter engates mais curtos" vai quebrar o queixo. No dispositivo sport use o paddle shift no volante multifuncional de três raios, sequinho e elegante.

Ah! A posicão de dirigir? Enterrada. Perfeita para quem busca esportividade e quer ser visto do pescoço para cima do lado de fora do carro. O TT dispensa película nos vidros porque ele foi feito sob medida para os exibicionistas. Pacote de segurança além dos tradicionais controle de tração, frenagem e ABS conta com seis bolsas infláveis.

Audi chega a 100 km/h em apenas 5,9 segundos  - Bruno Vasconcelos/DP/DA PRESS Audi chega a 100 km/h em apenas 5,9 segundos


A tela de 12,3 polegadas que projeta tudo no lugar dos tradicionais relógios mais GPS integrado, computador de bordo, info do espetacular som Bang & Olufsen é paixão à primeira vista. Eles batizaram de virtual cockpit, mas você chame da teoria de tudo ou do que quiser. É coisa de cinema mesmo. Os puristas preferem o velho quadro de instrumentos analógicos. Eu não. Quero é tecnologia e quanto mais facilitar a minha vida, melhor.

O visual é bonito e a decisão de compro ou não compro o esportivo se não for tomada até entrar na cabine... Já era. A central multimídia refletida na tela do cockpit é charmosa demais.

Sentar nos bancos de couro alcântara e observar a simplicidade do painel com ar de ajuste digital e comandos integrados nas três saídas redondas, console central com botão de partida e manuseio da tela de bordo é pode entrar no discurso do tipo isso aqui não tem preço.

O modelo Atrraction também fica devendo tudo isso. Além do jogo de rodas aro 19 (no de entrada é 18) e faróis full LED do Ambition. No banco traseiro cabem duas pessoas adultas? Não. Cabem duas crianças se você for um pai tipo família e desejar passear com a turma dá. Do contrário esqueça.

Ficha
São 4,18 m de comprimento, 1,83 m de largura e 1,35 m de altura e entre-eixos de 2,51 m. Porta-malas de 305 litros
Preço: R$ 235 mil.

Com quem concorre?

 A Audi espera vender 50 unidades do TT por mês. Não é muito, e pouco ele ajuda na meta de vender 15 mil veículos que a marca estabeleceu para 2015.

Tags: red

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
Encontre seu veículo
O ano inicial não pode ser maior que o ano final.
O preço inicial não pode ser maior que o preço final.

Refinar busca

Últimas notícias

ver todas
28 de março de 2017
27 de março de 2017