Coluna

Na coluna do dia 11/10, Jorge Moraes comenta operação da Toyota em Pernambuco

Belini não é mais presidente da FCA na América Latina e Mini Countryman nacional terá o mesmo preço do modelo importado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 13/10/2015 10:07 Jorge Moraes /Diario de Pernambuco

Shineray e Toyota lado a lado


O governador Paulo Câmara vai receber no dia 30 do próximo mês, data reservada no palácio, a comitiva da Toyota do Brasil que irá oficializar o anúncio da operação no Porto de Suape. Toda logística ficará situada no Complexo industrial da fábrica da Shineray em uma área de 23,5 mil metros quadrados separada da planta e estocar em das motocicletas. A montadora já realiza testes com seus veículos no pátio fechado e construído para atender a montadora japonesa que tem como meta operar 36 mil carros por ano. A obra que será entregue na próxima semana surpreendeu a equipe da Toyota que poderá como segundo passo do processo implantar em outra área uma central de peças como parte da segunda fase do projeto. Os japoneses adotaram o Nordeste e contam por aqui com uma rede de distribuição organizada. O grupo Parvi, do presidente Pedro Schwambach, é um dos maiores do Brasil em uma região que conta também com a empresa cearense Newland, do paraibano Luiz Teixeira. A chegada em Suape significa velocidade de logística fortalecendo ao mesmo tempo os laços de presença do fabricante na região. A Toyota também é responsável pelo projeto de sustentabilidade Costa dos Corais no litoral de Alagoas e deseja avançar mesmo que seja no ritmo deles. Mais lento e de forma contínua.

 

Roberto Salvador/Divulgacao
 

 

Honda HR-V
Roberto Akiyama, vice da Honda, informou a coluna que 40% da produção nacional da marca é destinada ao HR-V. A fábrica de Sumaré trabalha em horas extras para fechar com uma média de pouco mais de cinco mil unidades por mês.

Dá para aumentar?
Muito difícil disse o executivo da Honda sobre a dificuldade com o fornecimento de peças locais e importadas. A produção da Argentina ajuda, mas ainda não resolve. O crossover é sucesso de vendas nos quatro cantos do mundo.

Countryman nacional

A BMW completa a gama de produtos feitos no Brasil em Araquari, SC, com o Mini que não é Mini para os puristas. O crossover com motor 1.6 de 186 cv chega nas versões Cooper S top e SAll4 com tração integral. Os preços? Serão os mesmos dos importados: R$ 143.950 e R$ 149.950, respectivamente.

A fábrica
Araquari, em Santa Catarina, monta o Série 3, Série 1, X1 e X3. Lá a BMW também anunciou que tira da gama o Countryman Exclusive (R$ 127 mil) de entrada e o John Cooper Works. O que tem na prateleira continua sendo oferecido. Depois esqueça.

Carro do Ano

Está chegando a hora da eleição mais importante da indústria automotiva nacional. O prêmio da revista Auto Esporte, da editora Globo, reúne jurados especialistas e tenho a honra de fazer parte do corpo do júri.

Auto Motor

Domingo no programa, às 10h, na TV Clube/Record, vamos acelerar na pista. Tem matéria com a turma do #circuitofechado no aeródromo da Coroa do Avião, Ecosport1.6 automatizado, Salão Duas Rodas e outras máquinas. Quer ver fotos? Acesse o Instagram @jorgemoraes.

A notícia
A substituição de Belini da presidência do grupo FCA na América Latina pegou a rede de surpresa. A reunião da Fenabrave Pernambuco foi ligeiramente interrompida depois da notícia publicada pelo #vrum e nossas redes sociais. Stefan Ketter está voltando da Europa acumulando o cargo de VP de manufatura global do grupo.

A reunião
O último encontro do presidente Belini, que a partir do dia primeiro passará para o cargo de assuntos institucionais do FCA, com os concessionários da rede Fiat foi meio amarga. Alguns revendedores perceberam no executivo, que é um dos mais queridos do mercado, um semblante natural de saudade.

Tags: torcedores

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
Encontre seu veículo
O ano inicial não pode ser maior que o ano final.
O preço inicial não pode ser maior que o preço final.

Refinar busca

Últimas notícias

ver todas
20 de janeiro de 2017
19 de janeiro de 2017